Tribunal de Justiça suspende jogadores e multa o União Barbarense pela pancadaria no dérbi com o Rio Branco

Por 28/03/2024 às 14:07

Foto: Bruno Cruz

O Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo julgou nesta quarta-feira (27), os jogadores envolvidos na pancadaria que ocorreu no dérbi entre União Barbarense e Rio Branco, no dia 06 de março, pelo Campeonato Paulista A-4, no Estádio Antônio Lins Ribeiro Guimarães.

No Leão da 13, os goleiros Maicon e Tiago, os laterais Gabriel Sales e Kenji, assim como o meia Vinícius, foram os denunciados. O massagista Rafael Rosa, que na súmula do jogo aparece como preparador de goleiros também foi julgado.

Os goleiros Maicon e Tiago foram enquadrados no artigo 254-A, que diz respeito a agressões físicas. Maicon foi julgado com sete jogos de suspensão e Tiago cinco jogos. Os dois goleiros já cumpriram uma partida, a tendência é que Maicon não jogue mais pelo União Barbarense.

Os laterais Gabriel Sales e Gabriel Kenji, foram enquadrados no artigo 258, por condutas contrárias à disciplina ou ética desportiva. Gabriel Sales foi julgado com dois jogos de suspensão e é desfalque contra o Jabaquara. Gabriel Kenji foi sentenciado com apenas uma partida, como o atleta já cumpriu a suspensão, fica à disposição de Toninho Cobra para última partida da primeira fase.

O meia Vinicius Miranda entrou no artigo 258-B, que é referente à invasão de local da equipe de arbitragem sem autorização e está suspenso por 15 dias, conforme determinação do TJD-SP.

O massagista do União Barbarense, que na súmula consta como preparador de goleiros, Rafael Rosa, foi julgado com quatro jogos de suspensão.

O União Barbarense também foi sentenciado pelos artigos 191 e 213. Em suma, a citação se dá porque o clube não se mobilizou para conter a briga. A pena é de R$5.000,00.

A Rádio Brasil ainda não obteve acesso as penas dos goleiros Eder e Sandro, dos laterais Guilherme Gusso e Guilherme Aguiar, assim como do preparador Fabio Guedes, todos do Rio Branco de Americana.