Artigos


Planejamento: você sabe que rumo tomar em 2017?


Tomar decisões, conduzir ações e solucionar problemas de maneira rápida. Na rotina das empresas essas são atividades comuns. Com novas demandas surgindo o tempo todo e equipes superenxutas, o desafio é fazer mais com menos e atender às exigências dos clientes. Em meio a esse cenário, muitas empresas se esquecem de fazer uma das coisas mais importantes: o planejamento.

No último trimestre do ano, toca o sinal de urgência. Quem ainda não planejou 2017 ainda pode fazê-lo! Para ajudar, vou indicar algumas pesquisas que podem ajudar no processo.

Por onde começar o planejamento
Ante de sair traçando metas, planos e ações para colocar em prática no ano que vem, comece fazendo uma avaliação de 2016.

Reúna a sua equipe, olhe o que foi feito nos primeiros nove meses do ano e o que ainda dá para fazer antes do especial do Roberto Carlos. Avalie as metas e indicadores para ver quais foram os pontos fortes e quais os pontos fracos.

Entre os itens que não foram cumpridos ou que ficaram abaixo da meta, procure entender os motivos.

Pesquisas de satisfação e pesquisas de clima organizacional são fundamentais para que você tenha uma visão ainda mais completa do cenário. Ao realizar essas pesquisas, você vai ouvir os dois públicos fundamentais para o sucesso da sua empresa: seus clientes e seus colaboradores.

Com base nas informações que você reuniu com sua equipe, nos indicadores da empresa e nos resultados da pesquisa, realize um diagnóstico da empresa até o momento.

2017: para onde queremos ir?

Agora, é hora de começar a planejar o próximo ano. Um bom exercício a ser feito nesse momento é solicitar para que o gestor de cada área apresente as suas ideias, tanto para o seu próprio departamento quanto para a empresa como um todo.

É importante levar em conta alguns fatores externos, como cenário macroeconômico e tendências do seu mercado. Além disso, fazer uma pesquisa para saber como seus concorrentes estão sendo avaliados também pode trazer resultados valiosos para o seu planejamento, identificando oportunidades e fraquezas da sua marca em relação aos produtos similares no mercado.

Ao fim dessa etapa, a equipe envolvida no planejamento deve chegar a um consenso de onde a empresa quer chegar no ano seguinte, seja em termos de resultados financeiros ou algum outro indicador que seja mensurável.

Por exemplo, uma startup pode decidir que quer dobrar seu faturamento, um restaurante pode determinar que quer terminar o ano com um novo serviço de delivery consolidado e uma agência de publicidade pode estabelecer que quer conquistar cinco novas grandes contas com receita recorrente. E você, onde quer chegar?

Planejamento estratégico
Até aqui, você já fez uma análise do cenário e já sabe onde sua empresa está. Além disso, já definiu para onde quer ir e seus objetivos macros. Agora, é hora de fazer o planejamento estratégico, ou seja, definir quais são as estratégias que farão você sair de onde está e caminhar até onde você quer chegar.

Nessa etapa do planejamento, serão traçadas as principais estratégias de cada área e da empresa como um todo.

Planejamento tático
Após definir as estratégias da empresa para o ano seguinte, é preciso definir como isso será feito. Aqui, cada área vai estabelecer ou validar suas metas e objetivos, e também quais ações deverão ser realizadas para que cada objetivo estratégico seja cumprido.

O planejamento tático deve contemplar quais recursos serão necessários para que as ações sejam cumpridas. Não estamos falando apenas de orçamento, mas também de recursos humanos e tecnológicos.

Na nossa pesquisa sobre inovação nas empresas, feita em parceria com a Locaweb, nós mostramos como algumas empresas estão procurando inovar e apresentamos uma lista de ferramentas e soluções para quem quer ser inovador. Esse material pode dar insights muito interessantes para o seu planejamento, e você pode baixar gratuitamente o ebook com o resultado da pesquisa.

Além disso, é importante que o planejamento tático apresente as responsabilidades e os prazos previstos para cada uma das ações. No caso das responsabilidades, não é necessário estipular o nome de quem irá executar cada uma das tarefas, mas sim qual a área ou gestor responsável.

Com relação aos prazos, um erro muito comum que as empresas cometem é colocar muitas ações concentradas no primeiro semestre e poucas no segundo. Acabam ocorrendo prazos impossíveis de cumprir logo no início do ano, que comprometem o planejamento como um todo e ainda desanimam o time.

Por isso, procure traçar uma linha do tempo possível de ser executada, com as ações bem distribuídas ao longo dos doze meses.

O resultado final

Transforme o seu planejamento de 2017 em um documento acessível. Ele deve apresentar, de forma clara e objetiva, cada uma das etapas acima: diagnóstico, objetivo, estratégias e ações. Apresente alguns dados que orientaram as decisões do planejamento, como indicadores da empresa e resultados de pesquisa. Reúna as principais metas e o cronograma macro do ano que vem.

Por último, mas não menos importante: trace um calendário de reuniões periódicas para revisitar o planejamento e conferir se as metas e ações estão sendo cumpridas. A periodicidade dessas reuniões vai variar de empresa para empresa, mas podem ser mensais, bi, tri ou até mesmo semestrais.

Não esqueça de incluir no seu planejamento as pesquisas que você pretende realizar durante o ano seguinte. Pesquisas de satisfação, de hábitos de consumo e de buyer persona são fundamentais. Caso seu planejamento esteja prevendo o lançamento de um novo produto, não deixe de fazer uma pesquisa de teste de produto.

*Daniela Schermann é líder de marketing do Opinion Box, empresa especializada em soluções digitais para pesquisas de mercado e opinião

 

 

COMENTÁRIOS (Os comentários são de responsabilidade do autor, e não correspondem à opinião do SBNotícias).