Notícias


RECLAMAÇÃO

30/11/-0001 às 13:28:00

Cancha de bocha é utilizada irregularmente para reuniões no Parque Olaria


O que deveria ser um espaço de lazer para os aposentados se tornou um espaço para palestras e cultos, na Rua Cláudio Nóbrega da Costa, no Parque Olaria. Após alguns moradores do bairro reclamarem do som alto, o evento religioso parou de acontecer, mas agora a solicitação é que a pessoa pare de fazer uso da área e que a Administração Municipal faça alguma melhoria para o bem comum na cancha de bocha.

O espaço é utilizado por Antônio Benedito Felippe desde outubro do ano passo. Ele alega que tem um documento assinado pelo vice-prefeito, Anízio Tavares da Silva (DEM), que na época como secretário de Esportes assinou um documento autorizando o uso. Melhorias foram executadas pelo homem, como a solicitação da ligação de água e iluminação e agora, para deixar o campo de bocha, pedido já feito pela Administração, ele quer o ressarcimento.

"Aqui está a declaração do requerimento que pedimos diretamente para o Anízio e agora estão querendo tirar. O Anízio foi uma boa pessoa, mas depois que entrou esse rapaz, um tal de Furlan (secretário de Esportes, Vinicius Furlan) mudou o sistema e já pediram para desocupar o lugar. Se não saíssemos iriam mandar um caminhão da Prefeitura para tirar a gente daqui, mas não foi invasão, temos autorização", comentou.

Felippe ainda afirmou que o local antes de ser utilizado para os cultos e reuniões de alcoólicos anônimos, era para o tráfico de drogas e prostituição. Ele ainda comentou que a construção da cancha de bocha foi feita por um casal de moradores do próprio bairro.

"Quando eu cheguei aqui morava uma pessoa e nós pintamos tudo. Também falei para o Anízio se poderia passar para o meu nome e ele disse que não, pois era da Prefeitura, tudo bem, mas agora, vieram uns fiscais e disseram que a força está atrasada, mas como que pode, eles mesmos disseram que não poderia colocar no meu nome", alegou quando questionado sobre as contas.

O ponto de ligação de água já foi cortado pelo DAE (Departamento de Água e Esgoto) de Santa Bárbara d'Oeste e Felippe também tentou uma reunião com o prefeito Denis Andia (PV). "Ele não me atendeu e vou procurar advogados de fora. Na hora de entrar aqui não foi invasão e não vai ficar assim".

Sobre a autorização, o vice- prefeito informou que na época que era secretário de Esportes, a autorização de uso de fato foi dada para realização de cultos, mas que não incluía a realização de melhorias. "Deixamos claro que iríamos terceirizar os campos de bocha, mas não tinha autorização para as melhorias".

Procurada, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Santa Bárbara d'Oeste, por meio da Secretaria de Esportes, informou que já solicitou a saída do munícipe do espaço público, que deve ser destinado apenas para práticas esportivas.

COMENTÁRIOS (Os comentários são de responsabilidade do autor, e não correspondem à opinião do SBNotícias).