POLITICA

Vereadores criticam a administração pelo descaso na Saúde e apelam pela conclusão da UPA do Santa Rita

11/01/2018 - 15h08

 

Compartilhar via E-mail

Os vereadores Paulo Monaro (SD), Valdenor de Jesus Gonçalves Fonseca, o Jesus Vendedor, Gustavo Bagnoli (ambos do DEM) e Antonio Carlos Ribeiro, Carlão Motorista (PDT) criticaram hoje (11) a administração municipal pela situação na área de Saúde e estão fazendo um apelo ao prefeito Denis Andia (PV) para que destine uma parte dos R$ 29 milhões que serão emprestados do Banco Nacional de Desenvolvimento Social -BNDES, na conclusão da obra da UPA-Unidade de Pronto Atendimento que está paralisada há quase 10 anos, no Jardim Santa Rita de Cássia. 

Monaro, Carlão e Jesus participaram nesta quinta-feira (11) do programa Estação Espacial, apresentado pelo radialista Jairo Camargo Neves, pela Rádio Brasil AM de Santa Bárbara d' Oeste e falaram das filas que tem sido verificadas para agendamento de consultas em Unidades Básicas de Saúde-UBSs, como ocorreu no início desta semana na Cidade Nova, deixando muitos pacientes revoltados.

Durante a entrevista os três parlamentares falaram sobre suas ações no poder Legislativo, salientando que não são oposição ao governo municipal, mas quando não são atendidos o papel deles como fiscalizadores é "bater" porque querem trabalho e coisas boas para cidade. Tentativas de agendamento de reuniões com o prefeito também foram comentadas. 

"Fila Zero não existe. É mentira. Não posso nem culpar a secretária que é nova na função. Eu culpo a administração municipal mesmo. A saúde está ruim demais e o prefeito não nos atende. Isso eu deixo registrado e falamos também nas audiências da Saúde. Tem pessoas morrendo nas filas de espera por UTI e pessoas desde às 4h30 da manhã na fila e até às 15h30, que não foram atendidas", criticou o vereador Carlão Motorista.

Para o vereador Paulo Monaro a administração municipal é "de aparência". "Vemos que é uma administração de aparência. Faz praça, canteiro, faz uma guia aqui e ali e deixa a cidade bonita. A maquiagem é boa, mas se precisar da área da Saúde, é um caos. Em momento nenhum dizemos que a culpa é dos funcionários; nos os isentamos. O que existe é uma má gestão. Precisa rever e começar tudo de novo. O problema na saúde é no país, mas não precisamos ser todo mundo", afirmou o vereador.

Os vereadores falaram também sobre a dificuldade de agendamento de reunião com o prefeito Denis Andia. "Tentamos marcar com o prefeito e não conseguimos. As informações que temos, é que de vez em quando, nem os vereadores da base conseguem falar com o prefeito. Nós precisamos exercer a nossa função de fiscalizadores", disse Monaro.

Outro assunto criticado pelos vereadores, diz respeito ao parcelamento do 13º salário dos servidores. "No fim do ano, nós observamos uma licitação para compra de flores, e mais de R$ 60 mil em iluminação. Flor é prioridade hoje? Não. Pisca-pisca? Não. E esse dinheiro é usado de uma maneira que não achamos certo", completou Monaro.

Sobre a moção de apelo que estão protocolando nesta quinta-feira, Monaro, Jesus e Carlão disseram que se assustaram com a notícia de que a administração desistiu da UPA do Santa Rita por não ter dinheiro para tocar a obra. "Vamos construir um prédio da Prefeitura e abrir mão da UPA? São R$ 29 milhões para construir outro prédio da prefeitura", afirmaram. O objetivo da moção é fazer com que o prefeito não desista de concluir a UPA e aplique nessa obra abandonada até 50% do valor que será financiado no BNDES.

 

Fonte: Redação

Comentários

(Os comentários são de responsabilidade do autor, e não correspondem à opinião do SBNotícias).