POLITICA

Vereador Jesus quer saber qual é a frota atual da GCM

07/12/2017 - 14h32

 

Compartilhar via E-mail

O vereador Valdenor de Jesus Gonçalves Fonseca, o Jesus Vendedor (DEM) quer saber qual a frota atual de viaturas da Guarda Civil de Santa Bárbara d'Oeste. Ele protocolou um requerimento à administração municipal onde afirma ter recebido várias reclamações de munícipes sobre o não atendimento de ocorrências por parte da Guarda Civil Municipal. Essa situação, segundo informações de diferentes cidadãos, seria causada pela falta de viaturas à disposição da corporação.

No requerimento de informações, Jesus Vendedor pergunta o número de veículos à disposição da Guarda Civil e, desse total, a quantidade de motocicletas. O vereador pergunta, ainda, do total de viaturas, quantas estão em condições de uso e pede dados como placa, modelo e ano de fabricação. Ele também questiona o número de veículos parados, sem condições de uso, e os motivos pelos quais essas viaturas estão sem condições de funcionamento.

Ainda no requerimento, o vereador questiona o número de veículos que passou por manutenção desde 2013 e quais os valores gastos com esses veículos. Jesus pergunta, ainda, quantos novos veículos foram adquiridos recentemente pela Administração Municipal para a corporação, com qual tipo de recurso e se essas viaturas já estão sendo usadas em ocorrências. A realização de convênio para a aquisição de novas viaturas ou para a realização de manutenção nos veículos já disponíveis também são questionadas pelo parlamentar.

Jesus também questiona se a Guarda Civil Municipal tem previsão de custo para realização de manutenção das viaturas e motos que necessitam de reparos, se existe alguma restrição quanto aos abastecimentos das viaturas e quantos quilômetros esses veículos percorrem, em média, por mês. Por fim, o vereador pergunta o número de guardas municipais, qual a carga horária desses profissionais, quantos atuam nas rondas diárias e se essa quantia é suficiente para atender à população. Caso o efetivo atual não seja suficiente, ele questiona o que a Prefeitura tem feito para solucionar esse problema.

Fonte: Redação/Divulgação

Comentários

(Os comentários são de responsabilidade do autor, e não correspondem à opinião do SBNotícias).