PARALISAçãO

Após protestos, ocupação e greve, reitor da Unimep é demitido

12/08/2017 - 17h02

 

Compartilhar via E-mail

Após quatro dias de greve de professores e funcionários, inclusive do campus de Santa Bárbara d'Oeste, o reitor da Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep), Marcio de Moraes, foi demitido. A decisão, que aconteceu na sexta-feira (12), agrava ainda mais a crise na instituição. Estudantes ocupam a reitoria desde o dia 5 de agosto em apoio à manifestação dos docentes e trabalhadores, que pede mais autonomia da unidade e critica as decisões da Rede Metodista, mantenedora da universidade. A Associação de Docentes da Unimep (Adunimep) criticou a demissão e afirmou que a ação é um "rompimento com a autonomia". O professor Fabio Josgrillberg assume interinamente a função. Ele é diretor nacional da Rede Metodista.

Por conta da demissão do reitor, os professores, funcionários e alunos vão realizar uma assembleia na próxima segunda-feira (14) para definir os rumos da greve. O vice-presidente da Adunimep afirmou que os docentes consideram aderir à ocupação que já dura sete dias no prédio da reitoria.

A greve, que começou oficialmente na terça-feira (7), deve continuar por tempo indeterminado. Na última semana, houve protestos que também incluíram alunos e funcionários. Os manifestantes pediam mais autonomia da Unimep e criticavam intervenções da rede metodista na administração da universidade.

Na ocasião, os blocos dos campi Taquaral, em Piracicaba, e em Santa Bárbara d'Oeste foram fechados com cadeiras e mesas. Cartazes também foram espalhados pela universidade. Os estudantes que ocupam a unidade também realizam aulas públicas sobre os motivos da greve. Na quinta-feira (10), eles se reuniram com os professores e fizeram uma faixa gigante.

 

Fonte: G1

Comentários

(Os comentários são de responsabilidade do autor, e não correspondem à opinião do SBNotícias).

 

 

Veja também