ILUMINAÇÃO

Câmara Intereclesial segue coletando assinaturas contra a restituição da CIP

11/01/2017 - 15h55

 

Compartilhar via E-mail

A Câmara Intereclesial de Santa Bárbara d'Oeste, entidade formada por padres, pastores, diáconos e missionários para acompanhar os acontecimentos sociais, políticos, econômicos e culturais do município, segue com o procedimento de coleta de assinaturas da população local, para formatação de um abaixo assinado que será encaminhado ao Legislativo, visando reverter a propositura que restitui a cobrança da CIP, taxa de iluminação pública na cidade, aprovada pela Casa de Leis barbarense na última Sessão Ordinária de 2016. A intenção dos responsáveis é juntar mais de sete mil vistos para a elaboração do documento até o dia 22 deste mês.

"Na verdade, a primeira fase da ação já cumprimos, passando por todas as igrejas católicas de nossa cidade, pelas igrejas evangélicas que fazem parte do Copasbo, e em alguns outros pontos, a matriz desse abaixo assinado, onde faremos uma coleta na próxima sexta-feira, dia 13, para divulgação de uma parcial dos números e, no dia 22, possamos finalizar com aquilo que nosso Departamento Jurídico nos orientou, que é coletar sete mil assinaturas para darmos andamento no procedimento de levar essa questão à Câmara na tentativa de reverter que essa taxa volte a ser cobrada em nossa cidade. Para assinar, o munícipe deve comparecer à secretaria de um desse pontos de coleta, com o Título de Eleitor para comprovar que você vota na cidade e assina o nome por extenso, com o número deste documento na frente", explicou o secretário geral da Câmara Intereclesial, César Bueno Quirino.

A volta da CIP em Santa Bárbara d'Oeste prevê cobrança de taxa mensal de R$ 8,00 para imóveis residenciais e prédios públicos; R$ 10,00 para espaços comerciais; e R$ 12,00 para industriais. De acordo com o prefeito Denis Andia, na exposição de motivos para elaboração da proposta, a restituição do tributo se dá em face da difícil situação financeira do país, que fez com que as receitas municipais não apresentassem melhora, e não existe no cenário nacional quaisquer indicativos para recuperação dessas perdas, obrigando a Administração a adotar tal medida, pois a extinção da Lei (ocorrida em 2014) mostrou-se totalmente inadequada e inoportuna a ponto de contribuir para o agravamento financeiro, bem como comprometendo a prestação de serviços.

Além de seu presidente, o padre João Carlos da Cunha, e do secretário geral César Quirino, a ‘Câmara Intereclesial' de Santa Bárbara d'Oeste é composta pelo pastor Ailton Jhones Gil (Copasbo), como vice-presidente; pelo pastor Valdimar Oliveira Carvalho (AMPASBO), como secretário administrativo; além dos membros Silvio Luis Plotegher (Paróquia Santa Bárbara), Carlos Alberto Vila (Paróquia São José), Jair Ribeiro de Almeida (Comunidade Colheita), Edimar Ferreira (Igreja Presbiteriana), José Carivaldo Milanez e Fernando Marques da Silva (ambos da Igreja Sara Nossa Terra), Agnaldo Moreira da Silva (Paróquia São Paulo Apóstolo) e Luiz Rodrigues Batista (Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora).

 

Fonte: Redação

Comentários

(Os comentários são de responsabilidade do autor, e não correspondem à opinião do SBNotícias).

 

 

Veja também